Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nervoso Miudinho

blog humorístico (esperemos) sobre tudo e mais frequentemente sobre nada

01
Jun17

Viver uma gravidez de risco #7

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Estar quase no fim não vale nada nem dá garantias. Foi esta a lição duma hemorragia que celebrou a entrada nos 9 meses. Uma ida à urgência que nos fez gelar o sangue. No final de um dia de consulta, antes de ir para a cama sinto qualquer coisa, verifico que é sangue. Não era sangue vivo nem abundante, mas era sangue. Não vos sei descrever o que senti, o que pensei, os flashbacks na minha cabeça de outras hemorragias, o pânico.  Foram mil socos no estômago, foi ansiedade, foi tudo. Sim, já estava quase no termo, e o desfecho era mais favorável, ainda assim, imprevisível. Para ele ficou mais real quando à saída para a urgência lhe disse para trazer já as malas, poderia lá ficar internada, poderia estar a entrar em trabalho de parto, sabia lá eu. Para me stressar ainda mais, era à hora de ele estar por aqui a mexer e aos pontapés e há 15 minutos que nada. Mal entrei e disse que tinha hemorragia, fui logo levada para a sala de "cardio" para fazer o ctg. Na minha cabeça desde que senti o sangue a sentar-me no cadeirão passaram horas. Mal me colocaram o aparelho ouvi o batimento, e senti a maior descompressão da vida, daí a sentir o movimento foram dois minutinhos. Um pequeno alívio. O ctg revelou muitas contracções, só sentia metade delas, na consulta com obstetra, fomos ver se havia descolamento da placenta ou outros sinais. Nem descolamento, colo íntegro, sem dilatação e fui brindada com a melhor ecografia até agora, estava de frente, vi olhos abertos, bochechas e língua, estava a praticar mamar, tranquilo e completamente alheado do stress do lado de fora da sua bolha. Só tive alta e vim para casa porque vivemos perto, o dia seguinte foi repouso absoluto, voltei a mais cuidados. Não posso mesmo relaxar um minuto, o primeiro trimestre fechei-o com una síncope e queda, bati de cara, passei o segundo trimestre cheia de medo e com mais algumas ameaças de desmaio, que soube gerir. No terceiro trimestre fui tendo sempre cuidado, nos dias em que me senti melhor tive que me refrear. Fiquei sempre com a sensação que poderia fazer um pouco mais e aproveitar melhor, uma sensação muito frustrante de tédio/repouso/vontade de fazer mais. Esta semana tive a confirmação que não posso mesmo facilitar e que fiz bem até agora. Não posso mesmo ignorar os meus instintos. Fui fazendo o mínimo, e cada vez que me sentia mais cansada, ou que estava há mais tempo de pé, ia deitar-me. Desta vez estava com ele na cozinha e ignorei o pequeno cansaço, só faltava acabar umas refeições, não me vim deitar: o resultado foi a ida à urgência e o susto monumental. E pronto, mais uma semana de maior repouso, porque quero muito conhecer aquelas bochechas mais fofas que vi ontem mas só depois das 38. 

Follow

28 comentários

Diz tu também de tua justiça

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Também estou no facebook

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Comentários recentes

As imagens apresentadas no blog são na sua maioria retiradas da internet, se as fotos lhe pertencem e/ou têm direitos de cedência de imagem, por favor envie um email que eu retiro. nervosomiudinho@sapo.pt