Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nervoso Miudinho

blog humorístico (esperemos) sobre tudo e mais frequentemente sobre nada

26
Mai17

Tipos de convidados em casamentos

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Em plena época alta da boda, podemos debruçar-nos sobre este tema. Um ano com menos de dois casamentos é um ano muito morninho, e sendo uma mente muito atenta ao que me rodeia fui detectando alguns padrões.

 

O tio folião

Em todos os casamentos há sempre um tio danado para a brincadeira, que bebe e brinca e que é um dançarino exímio. Quer dançar com toda a gente e chega a ser awkward. Há o típico casal de meia idade na pista a sambar na cara dos miúdos que só sabem dançar em discotecas.

 

O amigo bêbado

Toda a gente tem aquele amigo que fica bêbado e é alma da festa, solteiro claro, sempre na pista de dança ou no bar a pedir mais uma bebida. Dá conversa à menina do bar, à família dos noivos e, a dado momento, chora sempre de emoção. Uma variante deste tipo investe fortemente a dar cantiga ou à menina do bar ou a uma amiga (também ela bêbada) dos noivos.

 

A que arrisca tudo

depois, temos sempre a amiga da noiva, solteira, que decidiu que aquele é o seu moments para brilhar. Não sabe bem quando vai casar, e pelo sim, pelo não, vai aproveitar aquilo ao máximo. A festa não é dela, mas rais a partam, se ela não vai aparecer. O vestido é tudo, ou de cor berrante, ou decote, ou curtinho. Está sempre a dançar, faz gritinhos e poses como se estivessem lá paparazzi. Bebe qb e está sempre a tirar fotos. Posta no facebook fotos do dia durante meses, há sempre uma foto com legenda, as bonitas, a mesa mais gira.

 

Os colegas de trabalho

Estes são os verdadeiros convidados roleta russa: não se sabe o que vai sair dali. A bebedeira de uns e a forma awkward de dançar de outros vai levar a que nunca mais se olhe para essas pessoas da mesma forma.

 

O amigo perdido

Não sabe bem porque foi convidado, os noivos não sabem bem porque o convidaram, mas lá está. Não conhece quase ninguém, fica numa mesa onde não o conhecem, e onde estão as outras pessoas nessa condição. Está sempre à espera da hora apropriada para ir embora e mede o sucesso da festa pelo que bebeu.

 

A amiga graxista

Amiga próxima da noiva, solteira, está mortinha por casar, embora faça parecer que não. Tudo é lindo, e maravilhoso desdobra-se em surpresas e elogios exagerados porque secretamente acha que vai ser a próxima e espera ser recompensada. Ohh e aww forçados. Está a torcer para lhe calhar o ramo que assim alguém puxa o assunto do casamento com o namorado dela.

 

Foi lá só para comer

O convidado pró-forma, normalmente família afastada que só quer saber de comer. Se for mulher, só esteve de saltos altos na igreja, já chega à quinta de chinelas para estar mais confortável. Uma mesa de mariscos vale mais dez pontos no nota que deu ao casamento. Se a comida calha de ser pouca tá armada a confusão. Um pequeno parêntesis, uma senhora está nos seus saltos a noite toda, não há nada pior que ver pessoal com vestido de cocktail e chinelos ou havaianas. Estraga logo a imagem toda. Escolham um salto intermédio, um salto compensado, algo que saibam que aguentam; vão sentando para descansar.

Follow
24
Mai17

Como poupar dinheiro num casamento

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Na perspectiva de convidada, que é o que vos posso oferecer. Um casamento é uma despesa jeitosa: despedida de solteira, unhas, depilação, cabelo, vestido, maquilhagem, vestido e prenda. Foi em 2009 que comecei a ter casamentos de amigas próximas, e a ser dama de honor, vamos aprendendo com os erros e desenvolvendo tácticas de poupança. Comecemos pelo princípio, repetir vestidos é uma palavra de ordem, temos que abandonar este estigma que criamos a nós próprias. A maior parte da época de casamentos tem mais de um, se tivermos sorte não têm o mesmo grau de importância, porque é muito diferente um casamento de melhor amiga ou irmão/irmã ou primo afastado, ou prima afastada do namorado; nestes casos é muito mais fácil gerir a indumentária e repetir com segurança, a troca de acessórios e penteado já faz bastante diferença. 

 

  • Marcar férias logo depois de um casamento, se possível o primeiro. Porquê? Fazemos render os investimentos em depilação, unhas e no caso de quem trabalha ao fim de semana, deixa de haver preocupação com trocas de forma a ter esse dia livre. 

 

  • Para o casamento mais importante, o vestido pode ser novo e a maquilhagem pode ser profissional, sendo o primeiro é mais importante porque ainda estamos com aquela cor de lula que ainda não viu sol. Como poupar na maquilhagem? A ideia é não pagar o serviço de maquilhadora. Normalmente fujo de maquilhagens na cabeleireira, não têm formação, é como pedirem a uma amiga, nunca sabem o que vai sair. Fazendo na Sephora no valor de 35 euros em maquilhagem e oferecem um look de 15 minutos. Normalmente são os saldos nesta altura e o vosso dinheiro rende mais. 

    look de 15 minutos: Smokey Eyes; Perfect Red Lips; Nude Look; Bronzer & Blush; Contourin; Perfect Liner. Com 60 euros de compras podem fazer um look de 45 minutos, conjugando três looks. A sephora devia pagar-me a publicidade, mas aconselho porque é o que costumo fazer.

 

  • Aproveitar os saldos. Já comprei sapatos/sandálias e vestidos sem ainda ter conhecimento de cerimónias para as quais fui convidada, é sempre melhor do que estar com a pressão de comprar perto da hora e ter de pagar o preço total. Aliás  até me poupou dinheiro, porque era menos uma preocupação para o evento. Normalmente vejo em sítios como Cocktail Molotof que tem vestidos TFNC London, uma marca que gosto, que tem loja online própria, a Mango tem uma parte de cerimónia, a Zara também, e o El Corte Inglès também são bons sítios, há sempre o risco de haver vestido igual, mas o mundo não acaba. A única forma de evitar isto é mandar fazer, eu pessoalmente não gosto. Tenho dois vestidos de dama de honor que mandei fazer em duas costureiras diferentes e são os que menos gosto, porque uma boa profissional paga-se mais do que vestidos destas lojas. A vantagem de aproveitar saldos e comprar para eventuais eventos é que a probabilidade de haver indumentária igual baixa consideravelmente. 

 

  • No último casamento da estação, já estamos com uma boa corzinha pós férias, o que permite uma maquilhagem soft caseira e quiçá um cabelo simples esticado em casa. 

 

  • Se quiserem rentabilizar ainda mais, deixem para cortar o cabelo para quando forem fazer o penteado no dia do evento. 

Muito sucintamente estas são as minhas estratégias de poupança, acre scentariam alguma coisa? 

 

Follow
20
Out16

Ah e tal quando é que casas?

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Se tivesse um euro por cada vez que algum intrometido desta vida me perguntou isto já tinha juntado para casar e ter o Jose Villa a fotografar-me o casamento. Se tivesse um euro por cada profanidade que penso quando alguém resolve que deve fazer-me esta pergunta e é divorciado (com detalhes escabrosos),  que eu sei que já traiu o seu mais que tudo, então já tinha dinheiro e paciência para fazer a boda no Yeatman, vestido na Vera Wang e sapatos de Louboutin para cima.

 

_20161020_183921.JPG

 

Follow
23
Mar16

O que vem aí?

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

A época das bodas, os casórios, os casamentos aos molhos. E porque não afiar a língua? 

 

Como tal, podemos debruçar-nos sobre este tema. Um ano com menos de dois casamentos é um ano muito morninho, e sendo uma mente muito atenta ao que me rodeia fui detectando alguns padrões.

 

O tio folião

Em todos os casamentos há sempre um tio danado para a brincadeira, que bebe e brinca e que é um dançarino exímio. Ele pega na noiva para dançar, na mãe da noiva, o que ele quer é dançar. Há o típico casal de meia idade na pista a sambar na cara dos miúdos que só sabem dançar em discotecas.

 

O amigo bêbado

Toda a gente tem aquele amigo que fica bêbado e é alma da festa, solteiro claro, sempre na pista de dança ou no bar a pedir mais uma bebida. Dá conversa à menina do bar, à família dos noivos e, a dado momento, chora sempre de emoção. Uma variante deste tipo investe fortemente a dar cantiga ou à menina do bar ou a uma amiga também ela bêbada dos noivos.

 

A que arrisca tudo

Depois, temos sempre a amiga da noiva, solteira, que decidiu que aquele é o seu momento para brilhar. Não sabe bem quando vai casar, e pelo sim, pelo não, vai aproveitar aquilo ao máximo. A festa não é dela, mas rais a partam, se ela não vai aparecer. O vestido é tudo, ou de cor berrante, ou decote, ou curtinho. Está sempre a dançar, faz gritinhos e poses como se estivessem lá paparazzi. Bebe qb e está sempre a tirar fotos. Posta no facebook fotos do dia durante meses, há sempre uma foto com legenda, as bonitas, a mesa mais gira.

 

Os colegas de trabalho

A bebedeira de uns e a forma awkward de dançar de outros vai levar a que nunca mais se olhe para essas pessoas da mesma forma.

 

O amigo perdido

Não sabe bem porque foi convidado, os noivos não sabem bem porque o convidaram, mas lá está. Não conhece quase ninguém, fica numa mesa onde não o conhecem, e onde estão as outras pessoas nessa condição. Está sempre à espera da hora apropriada para ir embora e mede o sucesso da festa pelo que bebeu.

 

A amiga graxista

Amiga próxima da noiva, solteira, está mortinha por casar, embora faça parecer que não. Tudo é lindo, e maravilhoso desdobra-se em surpresas e elogios exagerados porque secretamente acha que vai ser a próxima e espera ser recompensada. Ohh e aww forçados. Está a torcer para lhe calhar o ramo que assim alguém puxa o assunto do casamento com o namorado dela.

 

A que foi lá para comer

O convidado pró-forma, normalmente família afastada que só quer saber de comer. Se for mulher, só esteve de saltos altos na igreja, já chega à quinta de chinelas para estar mais confortável. Uma mesa de mariscos vale mais dez pontos no nota que deu ao casamento. Se a comida calha de ser pouca tá armada a confusão. Um pequeno parêntesis, uma senhora está nos seus saltos a noite toda, não há nada pior que ver pessoal com vestido de cocktail e chinelos ou havaianas. Estraga logo a imagem toda. Escolham um salto intermédio, um salto compensado, algo que saibam que aguentam; vão sentando para descansar.

 

Este é um repost de um texto dos primórdios do blog ;) 

Follow
13
Jul15

Tipos de convidados em casamentos

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Em plena época alta da boda, podemos debruçar-nos sobre este tema.

Um ano com menos de dois casamentos é um ano muito morninho, e sendo uma mente muito atenta ao que me rodeia fui detectando alguns padrões.

 

O tio folião 

Em todos os casamentos há sempre um tio danado para a brincadeira, que bebe e brinca e que é um dançarino exímio. Há o típico casal de meia idade na pista a sambar na cara dos miúdos que só sabem dançar em discotecas. 

 

O amigo bêbado

Toda a gente tem aquele amigo que fica bêbado e é alma da festa, solteiro claro, sempre na pista de dança ou no bar a pedir mais uma bebida. Dá conversa à menina do bar, à família dos noivos e, a dado momento, chora sempre de emoção. Uma variante deste tipo investe fortemente a dar cantiga ou à menina do bar ou a uma amiga também ela bêbada dos noivos.

 

A que arrisca tudo

Depois, temos sempre a amiga da noiva, solteira, que decidiu que aquele é o seu momento para brilhar. Não sabe bem quando vai casar, e pelo sim, pelo não, vai aproveitar aquilo ao máximo. A festa não é dela, mas rais a partam, se ela não vai aparecer. O vestido é tudo, ou de cor berrante, ou decote, ou curtinho. Está sempre a dançar, faz gritinhos e poses como se estivessem lá paparazzi. Bebe qb e está sempre a tirar fotos. Posta no facebook fotos do dia durante meses, há sempre uma foto com legenda, as bonitas, a mesa mais gira. 

 

Os colegas de trabalho

A bebedeira de uns e a forma awkward de dançar de outros vai levar a que nunca mais se olhe para essas pessoas da mesma forma.  

 

O amigo perdido

Não sabe bem porque foi convidado, os noivos não sabem bem porque o convidaram, mas lá está. Não conhece quase ninguém, fica numa mesa onde não o conhecem, e onde estão as outras pessoas nessa condição. Está sempre à espera da hora apropriada para ir embora e mede o sucesso da festa pelo que bebeu.

 

A amiga graxista

Amiga próxima da noiva, solteira, está mortinha por casar, embora faça parecer que não. Tudo é lindo, e maravilhoso desdobra-se em surpresas e elogios exagerados porque secretamente acha que vai ser a próxima e espera ser recompensada. Ohh e aww forçados. Está a torcer para lhe calhar o ramo que assim alguém puxa o assunto do casamento com o namorado dela. 

 

A que foi lá para comer 

O convidado pró-forma, normalmente família afastada que só quer saber de comer. Se for mulher, só esteve de saltos altos na igreja, já chega à quinta de chinelas para estar mais confortável. Uma mesa de mariscos vale mais dez pontos no nota que deu ao casamento. Se a comida calha de ser pouca tá armada a confusão. 

Um pequeno parêntesis, uma senhora está nos seus saltos a noite toda, não há nada pior que ver pessoal com vestido de cocktail e chinelos ou havaianas. Estraga logo a imagem toda. Escolham um salto intermédio, um salto compensado, algo que saibam que aguentam; vão sentando para descansar.  

 

 

 

 

Follow

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Também estou no facebook

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Comentários recentes

As imagens apresentadas no blog são na sua maioria retiradas da internet, se as fotos lhe pertencem e/ou têm direitos de cedência de imagem, por favor envie um email que eu retiro. nervosomiudinho@sapo.pt