Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nervoso Miudinho

blog humorístico (esperemos) sobre tudo e mais frequentemente sobre nada

13
Fev17

Também quero falar do turismo no Porto

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

Eu sou do Porto, nascida e criada. Adoro a minha cidade. Se me incomodam trinta turistas por metro quadrado? Sim, bastante. Se me incomoda a abertura de trinta restaurantes por noite? Sim, um pouco. A gentrificação também me incomoda um pouco. Mas a cidade está viva. Outros estão a ver o que eu amo de paixão. O Porto está no mapa do Mundo, como não estava há muito. Claro que traz problemas. O crescimento tem de ser sustentado, e cuidadoso, este boom pode estagnar e descer um pouco. Rui Moreira está a começar a adereçar alguns problemas, os tuc tuc, os veículos de turismo, espero que se foque também na proliferação de hotéis, hostels e air bnb. Não quero um Porto igual a Lisboa, ou Madrid, standard. Quanto ao resto da questões são um bocadinho falsas. Eu vivi na Rua de Santa Catarina há mais de vinte anos atrás. E já nessa altura os moradores da baixa estavam em declínio, há mais de vinte anos. Aliás há agora muito mais gente a viver na baixa do que havia nessa altura. Conheco vários casais da minha idade que estão a viver na baixa. Adorava viver em Santa Catarina, recordo com nostalgia, a primeira vez que recordo ver granizo estava à janela a ver a rua. Foi um período mágico da minha vida. A casa era enorme, tinha duas entradas, o piso era todo nosso, duas salas de estar, uma terceira  que convertemos no quarto principal com talvez trinta metros quadrados, um quarto onde estava a máquina singer de costura, e tinha um pé direito altíssimo. A base da máquina ainda existe, é o apoio da mesa octogonal de mármore que está no pátio. A sala de estar, sem televisão e com um gira discos, era onde me sentava muitas vezes com uma boneca. Eu e o meu irmão ficamos num quarto num beliche porque éramos pequenitos. O Natal era um período especialmente bonito de ver pela minha janela, o São João também, mas todas as tardes a luz me fascinava e gostava de ver as pessoas a passar na rua, do tamanho de formigas. Brincava na Igreja da Batalha, ia para o jardim dos Aliados, dava milho às pombas, ia a feira dos pássaros e fazia as compras no pingo doce de 31 de janeiro. A roupa comprava-se na zara, no marques Soares, que ficavam a uns metros. Aliás, tudo ficava a uns metros, a conga, o Pedro dos frangos, o sítio da codorniz que não me lembro o nome, a loja dos bonsais que lá ficava ao lado. No fim do dia subir a 31 de janeiro era um suplício, ia eu e o meu irmão atracados à minha mãe, que coitada, ainda tinha de nos puxar no final de um dia de trabalho. As ruas eram desertas e feias à noite. Não tinha impacto porque éramos pequenos e as noites eram passadas em casa. A cidade era cinzenta. A baixa tinha poucos inquilinos, os preços eram altos, e não havia muito à venda, a maior parte eram alugueres, com rendas altíssimas. A vontade de ter uma casa própria térrea com jardim obrigou à mudança, uma nova subida de renda e a teimosia em não vender ditaram a saída do Porto, nós e muitos mais. Uma mudança sentida, que durante anos não foi bem aceite por ninguém. Tirar-nos a baixa, foi tirar tudo. 

Follow

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Também estou no facebook

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

subscrever feeds

Comentários recentes

As imagens apresentadas no blog são na sua maioria retiradas da internet, se as fotos lhe pertencem e/ou têm direitos de cedência de imagem, por favor envie um email que eu retiro. nervosomiudinho@sapo.pt