Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nervoso Miudinho

blog humorístico (esperemos) sobre tudo e mais frequentemente sobre nada

05
Jul18

UM ANO!!! UM ANO DE AMOR INCONDICIONAL

nervosomiudinho.blogs.sapo.pt

O meu amor fez um ano! O amor do qual nasceu, esse já tem mais de sete. Mas este é um amor diferente. Um amor incondicional, máximo, bonito, que cresce a cada dia. 

 

Perdi toda e qualquer noção de tempo com o nascimento do meu filho. Tenho dificuldade de me lembrar como era a minha vida sem ele. E que bom que é. O máximo que estive longe dele foram 10 horas.

 

Este mês ele deu outro salto, em dois meses cresceu 5 centímetros. Mais um dente: já vamos em 7.

 

Já temos gravado direitinho mamã e papá, e ouço as gravações várias vezes ao dia...

Sabe o que são os olhos, perguntamos e pisca-os várias vezes, também sae o que é o nariz, aponta com a parte de trás da mão quando perguntamos onde está o nariz. Tenta calçar as meias e sapatos, claro que não consegue, e quando desiste pousa-os em cima do pé: "close enough".

Aprendeu a palavra caca, sem que lha tenha ensinado propositadamente. Também diz "vá": anda sempre a fugir-nos e dizemos vá, volta para a sala, pelo que começa a fugir e vai a dizer vá pelo caminho. Está muito perto de andar sozinho, corre os móveis agarrado, já só precisa duma mão nossa para andar e fica uns segundos sem estar agarrado a nada em posição ronaldo-antes-de-um-livre; já dá uns passinhos tímidos quase "sozinho" connosco a agarrar a t-shirt nas costas. Repete palavras simples ou sons simples: em homenagem a Seinfeld repete yada yada yada. Repete pequenos sons de músicas. Faz os sons dele, às vezes parece um indiano a falar: dum, gli, gle, dê. Continua a adorar histórias, pede para lhe contarmos histórias e fica muito atento a ouvir. Repete gestos que significam palavras: digo muito grande e abre sempre os bracinhos. Provou açorda, feita com pão sem sal e gosta muito. Ao domingo continuo a deixar que coma regueifa, afinal de contas é portuense.

 

Tenho um menino muito bem disposto e lindíssimo, tem as mesmas feições desde o primeiro dia de vida, teve sempre feições definidas , não é o bebé típico (vamos já apostar aqui que se assim fosse ia achá-lo o mais lindo do mundo na mesma), mas a verdade é que foi sempre muito atento, olho bem aberto e sempre fez muita companhia e exigiu muita atenção e estímulo.   

 

Temos muita sorte, agradeço que este pequeno nos tenha escolhido para o guiar na vida, espero estar sempre à altura. Tenho uma sorte incrível da quantidade de horas que passo com ele. Escolhi viver onde vivo porque considero que tempo perdido em trânsito e engarrafamentos é qualidade de vida desperdiçada. Demoro menos de 10 minutos até ao meu local de trabalho, o que me permite estar com o meu filho perto de seis horas, até à sua hora de dormir (21h). Na minha opinião o desafio consiste em aproveitar cada dia e lhe ir dando experiências novas e muito tempo de brincadeira. Não olhar para um filho como a lista de tarefas desse dia: trocar fraldas, banho, refeições mas sim olhar para essas coisas e aproveitar para o ensinar. 

 

Contei-vos a odisseia do parto e o que levei na mala de maternidade

 

O primeiro mês foi uma descoberta, e como vos disse foi a minha parte preferida: só existiamos nós, e nada mais interessava, estava tudo completamente disponível para ele e os seus horários. 

 

Ao segundo mês já fiquei sozinha com ele, cheia de medo, mas correu tudo bem. Entretanto neste ano já estive mesmo um mês inteiro sozinha com o pequeno porque ele esteve fora para trabalho. Muito cansativo mas provou-me que consigo. 

 

Ao terceiro mês veio o pico de crescimento e o bebé ganhou pilhas duracell, nem a mamar estava quieto, trepava por mim acima e apeteceu-me deixar de amamentar muitas vezes. 

 

A amamentação foi difícil dos três aos seis meses, ele não parava quieto, ainda que sempre bem disposto, era difícil dar de mamar, tive que o fazer em pé a maioria das vezes. Aos cinco meses começou a sentar-se sozinho.

 

Aos seis meses veio o primeiro dente e pouco foi para a avó, e de repente a amamentação melhorou exponencialmente. Vinha cheio de vontade de mamar, e mamava vinte minutos quietinho mal chegava ao pé de mim. Foi de passarmos a estar algumas horas separados e acabou por ser muito mais fácil para mim e me dar descanso durante a amamentação. 

Aos sete meses descobriu os polegares e começou a usá-los nos objectos que já rodava desde os 4 e batia um no outro desde os 5 meses. Também começou a usar os dentitos para me trincar...

Logo no início dos oito meses (fim dos 7/início dos 8) começou as primeiras palavras: olá e mamã. Também aprendeu o não (com algumas birrinhas) e começou a levantar-se sozinho e a pedir colo, foi um mês em grande

Aos nove meses começou a fazer as coisas a pedido: as palmas e o adeus que aprendeu aos 6 meses. Aliás ao acordar já batia palmas de feliz. Felizmente sempre nos acordou bem disposto. 

Aos 10 meses começou a dar turrinhas, saltar, dançar, fazer cavalinho, começou a dizer ai-ai-ai-ai e foi quando começou a gatinhar. 

Aos 11 meses começou a caminhar agarrado a móveis sozinho, andar em volta da sala entre gatinhar e andar. Adora histórias e ajuda a vestir-se. 

Follow

8 comentários

Diz tu também de tua justiça

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Também estou no facebook

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Comentários recentes

As imagens apresentadas no blog são na sua maioria retiradas da internet, se as fotos lhe pertencem e/ou têm direitos de cedência de imagem, por favor envie um email que eu retiro. nervosomiudinho@sapo.pt